GS 40 anos de história

GS 40 anos de história

40 anos atrás, Setembro de 1980, iniciava uma nova história para a BMW Motorrad.
Ano em que a BMW criou a R 80 G/S, inovando o mercado de motos. Um modelo equipado com roda de 21 polegadas na dianteira, pneus de uso misto, suspensão de longo curso, como em uma moto de enduro, e que trazia uma potência superior das motos off-road da época
Junto com a R 80 G/S nascia, também, o segmento Big Trail.

O motor que impulsionava a nova máquina, vinha dos modelos esportivos, e contava com 50 cavalos de potência. A capacidade do tanque era de 19,5 litros que proporcionava uma boa autonomia para viagens. Sem falar do banco que oferecia todo conforto para piloto e garupa.

Criada para “terra e estrada”, dando origem ao termo G/S (Gelände/Straße, do alemão terra e estrada, on e off-road) que, com o passar do tempo, a nomenclatura G/S perdeu o “simbolo / ” ficando apenas as letras “GS”, que identificam a família de motos que inspiram motociclistas de todo o mundo na busca de aventuras, sem se preocupar se a estrada era asfaltada ou não.
Foram 40 anos de aprimoramento e, a cada novidade, sua posição de campeã de venda era conquistada. Em 2019 a GS foi a moto mais vendida da BMW em todo o mundo, com 59.000 unidades emplacadas, de um total de 175.162 motos comercializadas pela marca.

Durante a evolução da GS, a BMW não abriu mão das características responsáveis pelo sucesso conquistado ao longo de quatro décadas.
São 40 anos de história sustentada pelo motor boxer, de dois cilindros opostos que, atualmente, conta com 1250 cc, e 136 cv de potência máxima. A transmissão final, desde o seu nascimento em 1980, é feita por eixo-cardã, e sua ciclística “encara” uma estrada de terra sem problemas.
Muita tecnologia foi embarcada no processo de evolução como, por exemplo, freios ABS, modos de pilotagem, painel digital conexão, piloto automático, entre outros que oferecem maior conforto para longas viagens.

Foi em 1987, na segunda geração, que o modelo virou definitivamente GS, sem a barra, e ganhou uma versão de motor maior, nascendo a R 100 GS. Porém R 80 GS se manteve. Ambas foram equipadas com tanque de 26 litros e a estreia de raios externos que permitem o uso de pneus sem câmara e um pequeno para-brisa de série.

No decorrer da década de 80, com cinco vitórias no rali Paris-Dakar, a marca apresentou uma versão especial que levava o nome da prova. A R 100 GS Paris-Dakar uma moto emblemática que tinha um tanque de 35 litros, bagageiros no lugar da garupa permitindo maior capacidade de bagagens.

Mas foi com a R 1150 GS que veio o verdadeiro sucesso do segmento. Além de contar com um motor de maior cilindrada, o modelo apresentava uma nova identidade visual promovida pelos dois faróis assimétricos, que identificam a marca até os dias de hoje.
Em 2002 a BMW cria a versão “ADVENTURE”, criada especialmente para aqueles que buscavam grandes aventuras.
O modelo trazia curso mais longo na suspensão, bolha alta (para-brisa), assento único e protetor de cárter mais resistente. Equipada com tanque de 30 litros, era ideal para quem buscava autonomia em grandes jornadas.
A R 1200 GS, em 2004, veio substituir o modelo R 1150 GS. Mas não foi uma simples substituição, Além do novo motor, a R 1200 GS era totalmente renovada, mais sofisticada, potente, e consideravelmente mais leve – cerca de 30 kg a menos do que sua antecessora.
Com a R 1200 GS ficou definido novos padrões no segmento big trail. O modelo trouxe inovações tecnológicas como a suspensão eletronicamente ajustável (ESA)

Com as exigências de controle da poluição, depois de quase um século, o emblemático motor boxer, característico da BMW, ganhou arrefecimento líquido.

São 40 anos de história, com muitas inovações tecnológicas e mudanças.
A única coisa que não mudou com o tempo, foi o espírito aventureiro de seus fans.

Deixe uma resposta