Pneus – Estética X Performance

Pneus – Estética X Performance

Estética X Performance

Por Caetano Giraldi, piloto de testes da Pirelli

Movidos pelo desejo de aprimorar o visual da moto, muitos motociclistas substituem os pneus originais de fábrica por outros de medidas maiores, o denominado oversize. Essa mudança deixa a moto mais encorpada, realmente ela fica mais bela. Porém, o que poucos sabem é que essa é uma alteração bastante crítica, que compromete a performance, dirigibilidade e principalmente a segurança da motocicleta.

Como cada moto é projetada, fabricada e acertada para atingir desempenho máximo com uma determinada medida de pneu, esta mudança que parece pequena altera tudo, do ângulo de caster ao acerto de suspensão e consequentemente no comportamento da moto. Com tantas mudanças a moto se tornará imprevisível, principalmente em curvas.

A motocicleta 600cc mais vendidas atualmente sai de fábrica com a medida 180/55 ZR17 na traseira, nesse caso alguns usuários costumam substituir pelo 190/50 ZR17, 190/55 ZR17 ou até mesmo 200/50 ZR17, que são comuns em motos de 1.000cc. Porém, estes pneus são projetados para rodas de 6 polegadas, e o pneu original é projetado para aro de 5,5 polegadas, ou seja, é 0,5 polegada menor. Sim, essa pequena diferença vai deformar o pneu, que ficará com o ombro praticamente “arredondado”. Consequentemente o perfil do pneu, e a área da banda de rodagem em contato com o solo vai ser alterado, com isso o pneu não vai oferecer a sua performance ideal.

Num trajeto em linha reta não haverá muita diferença de comportamento em relação à medida original, o maior problema acontecerá nas curvas, pois a área de contato com o solo não será a ideal. Talvez no trânsito das cidades essa mudança de comportamento nem seja sentida, pois a moto dificilmente será levada ao extremo.

Mas na estrada ou numa pista, quando o piloto fizer uma curva em inclinação intermediária, ele já sentirá a moto instável devido a deformação. É justamente o pneu traseiro que dá ao motociclista o aviso de que ele atingiu à inclinação máxima, com o perfil deformado esse limite chega antes, e o pior, muitas vezes sem aviso prévio.

Quando a traseira começa a escorregar, o piloto tem a indicação de que a moto já está no limite da aderência e perdendo o contato com o solo. Então, ele consegue sentir e corrigir a trajetória. Quando o pneu tem seu perfil alterado, não há o mesmo feedback do equipamento original. A traseira pode escapar subitamente, sem dar aviso, resultando na perda de controle da moto, ou seja em um acidente.

Portanto, tenha sempre em mente que o melhor acerto é sempre conseguido com as medidas originais de fábrica. Você pode optar por um pneu com o desenho mais agressivo, mas desde que respeite as medidas originais, além dos índices de velocidade e carga.

deformacao

Deixe uma resposta